The Flaming Lips at The Paramount - Seattle, WA

Apesar do show ter acontecido na última quinta-feira (19/09), ainda acho que vale um post (mesmo que no blog emprestado do pessoal do .::musicness::.) do divertidíssimo show do Flaming Lips em Seattle. Depois de mais de uma década sem se apresentar na cidade do grunge, o frontman Wayne Coyne, o multi-instrumentista Steve Drozd e o baixista Michael Ivins trouxeram o melhor da banda em um show de pouco mais de uma hora e meia de duração.

Com o incomparável estilo Lips, o palco foi tomado por alguns sortudos fãs e integrantes da psicodélica Black Moth Super Rainbow – banda que abriu o show – fantasiados de alienígenas e Papais Noéis. Além, é claro, de vários balões coloridos, punhados de confete, gelo seco e um telão que revezava vídeo clipes da banda, alguns desenhos e close-ups de Wayne.

The Flaming Lips at The Paramount - Seattle, WA

O show começou com com a já famosa “space bubble”, uma enorme bola transparante que carrega Wayne por entre a multidão, seguido do hit Race for the Prize, do aclamado disco The Soft Bulletin. Apesar do lineup ter sido quase o mesmo que a banda apresentou no festival Bonnaroo, em junho, Wayne cativou o público em Seattle com seus discursos anti-Bush (The Yeah Yeah Yeah Song) e sua filosofia de sempre ajudar o próximo e querer o bem uns dos outros (para aqueles que esqueceram os bons modos).

A apresentação do Lips atigiu seu age quando Wayne pediu para todos cantarem em uníssono Yoshimi Battles the Pink Robots. Sem nenhum instrumento musical acompanhando a melodia, a saga de Yoshimi ecoou no pomposo salão principal do teatro Paramount, um dos mais antigos e belos de Seattle. O show seguiu misturando antigos hits com alguns mais recentes. Destaque para Waitin’ for Superman, outro single do The Soft Bulletin, The Radicals e The W.A.N.D., do mais novo álbum do trio, At War with the Mystics. E, para comemorar os dez anos de lançamento de Zaireeka, o box experimental de quatro CDs que podem ser ouvidos separadamente ou em grupos de dois, três ou quatro simultaneamente com múltiplos aparelhos de som, o trio arriscou uma das faixas, com Steve detonando nos teclados.

E quando todo mundo esperava mais, Do You Realize?? encerrou a apresentação dos Lips. Mas, como de costume, não demorou muito e o trio voltou ao palco com, talvez a música mais tocada de toda a carreira do Lips. She Don’t Use Jelly levou o público a loucura. A platéia, não satisfeita, pediu mais um. E não é que eles aceitaram? Wayne e companhia voltaram para mais um bis, dessa vez, o final. Mas, ao invés de tocarem uma canção dos Lips, o trio voltou com a cover de Moonlight Mile, dos Rolling Stones.

The Flaming Lips at The Paramount - Seattle, WA

Para quem não teve a chance de ver a banda ao vivo, confira o novo DVD U.F.O.S. at the Zoo – The Legendary Concert in Oklahoma City, lançado aqui nos Estados Unidos no mês passado.

Texto e fotos da amiga do blog e recém-adicionada como colaboradora Ana Karina Sato.

Anúncios