Realmente o mundo está mudando. Após terminar e não renovar o contrato com a poderosa EMI/Parlophone em 2005, o Radiohead ficou alguns meses pensando em como vender o seu novo disco, finalizado este ano, sem ter contrato com alguma das majors. Nas últimas semanas, o grupo fez algumas charadas com o nome das novas músicas em seu blog e criou uma grande expectativa sobre o disco. Hoje, o mistério acabou. A banda fez o que todo o músico bom deveria fazer: mandou as gravadoras às favas e lançou o álbum, batizado de In Rainbows, de forma online. E não foi só isso, não. A trupe inglesa pos à disposição dos fãs duas formas de “pré-compra”: uma por download e outra em um discbox, sendo que na primeira, quem faz o preço é você!

Este formato permite que o comprador baixe as músicas do site do Radiohead a partir do próximo dia 10 de outubro e escolha o preço que quer pagar. Isso. Você leu certo. O sujeito clica no formato download e depois, no carrinho de compras, aparece um campo de preço editável. Claro que o cara ainda não acredita. Aí ele clica no ícone “?” e a resposta vem: “No really. It’s up to you“. Loucura!

Você pensa então “pô, assim ninguém vai comprar o discbox”. Mas essa idéia dura até você ler que a caixa é composta por dois CDs e dois vinis de 12 polegadas. Aí o papo muda. Um dos CDs é o álbum propriamente dito e o outro contém mais novas músicas e fotos e arte em formato digital. Tudo acompanhado de um encarte com letras e embalado em uma caixa-envelope de capa dura. A belezura sai pela bagatela de 40 libras – uns R$ 150 pila – que, convenhamos, não é nada caro para padrões ingleses. A promessa da banda é que o discbox será enviado aos compradores a partir do dia 3 de dezembro (já estou aceitando presentes de Natal!).

Radiohead discbox

Fiz o pré-pedido, porém não consegui completar a compra. No início pensei que fosse alguma restrição devido à região, mas segundo o próprio site, os dois discos estão para venda para o mundo todo. Vai ver é algum problema com o servidor que não está suportando a quantidade de acessos. Mais tarde eu posto aqui o resultado.

Pensando cá com meus botões

Faz tempo que queria falar sobre isso aqui no .::musicness::. e agora apareceu a chance certa. Acredito que o caminho para o novo mercado musical no futuro passe por iniciativas dessa natureza. Pode ser que deixar a critério do comprador o preço do disco seja acreditar demais na boa natureza humana (eu, por exemplo, vou dar um lance legal, mas com certeza, muita gente não vai).

Mas o importante aqui é ver que uma banda do porte do Radiohead, que já vendeu muito disco, quebra o paradigma financeiro da indústria: por que é preciso que músico já mega-multi-ultra milionário precise ficar mais mega-multi-ultra milionário a cada lançamento? Será que não é apenas para enriquecer também toda a corja marketeira das majors?

Não prego aqui nenhuma besteira socialista de asco ao dinheiro ou mesmo algum argumento ingênuo de que artista vive para sua arte. Porém, é claro, ao menos para mim, que a salvação da indústria da música passa pela revisão dos seus lucros. Com a segmentação e a “mundialização” do download é impossível concentrar grandes vendas em algum artista de gosto duvidoso através apenas das estratégias de venda. Não é a toa que tudo quanto é músico (talvez com exceção dos rappers americanos) tenha que cair na estrada e fazer show mundo afora (não, isso não é apenas devido ao preço do dólar).

A lista das novas músicas do Radiohead:

CD, download e vinil 1
15 Step
Bodysnatchers
Nude
eird Fishes/Arpeggi
All I Need
Faust Arp
Reckoner
House of Cards
Jigsaw Falling into Plance
Videotape

CD e vinil 2
MK 1
Down is the New Up
GO SLOWLY Go Slowly
MK 2
Last Flowers
Up on the Ladder
Bangers and Mash
4 Minute Warning

Postado por Diogo Dreyer

Anúncios