A temperatura começou a baixar nesse lado do continente. O verão já se foi e o inverno começa a dar as caras. Se preparar um churrasquinho (de hambúrguer ou vegetariano) não rola, o melhor mesmo é conferir os últimos shows do ano. E o final de semana passado, não foi diferente. Dois super shows fecharam com chave de ouro o mês de setembro em Seattle.

Arctic Monkeys

Depois da mudança repentina da paresentação, que estava programado para o recém-inaugurado WaMu Theater, do lado do estádio dos Seahawks, time de futebol americano local, os garotos do Arctic Monkeys se apresentaram no pomposo Paramount Theater no sábado (29/09). Ninguém confirmou o porquê da troca de lugares, mas o boato que corria por aqui era de que os Monkeys não teriam vendido todos os sete mil ingressos do primeiro local marcado para o show.

A mudança, entretanto, não afetou a performance do quarteto. No auge de sua carreira, Alex Turner (vocais, guitarra), Jamie Cook (guitarra), Nick O’Malley (baixo) e Matt Helders (bateria) arrasaram. Tocando quase sem parar, nem mesmo para uma rápida interação com o público, os Monkeys tocaram praticamente todas as músicas dos dois álbuns, Whatever People Say I Am, That’s What I’m Not, lançado ano passado, e o novo Favourite Worst Nightmare.

A platéia, em extâse a maior parte dos pouco mais de 60 minutos de apresentação da banda, cantava e gritava todas as letras. Destaque para Brainstorm, Fluorescent Adolescent e da já clássica, I Bet You Look Good on the Dancefloor. Os garotos dos Monkeys deixaram Seattle querendo mais, já que nem voltaram para o bis. Showzaço bem executado e sem firulas. Imperdível.

E enquanto o show dos Monkeys não chega ao Brasil (dia 31 em Curitiba no Tim Festival), confira alguns trechos da apresentação dos garotos em Seattle. Vídeo cortesia do amigo Rodrigo Hermann.

E no domingo…

Fechando a programação do final de semana, a terceira apresentação do Klaxons em Seattle em pouco mais de seis meses, no tradicional clube Showbox. Continuando com seu set nu-rave, o trio londrino tocou quase , senão todas, as faixas do disco de estréia, Myths of the Near Future. Bouncer abriu o show, seguida de Atlantis do Interzone e Golden Skans. O Klaxons ainda tocou algumas faixas do EP Xan Valleys, fechando com a dançante Gravity’s Rainbow.

Klaxons

Com uma show energizante, Jamie Reynolds (vocais, baixo), James Righton (vocais, teclado, guitarra) e Simon Taylor (guitarra) revelaram que depois de várias turnês, incluindo a Shockwaves NME Awards Indie Rave Tour, onde dividiram os palcos com os brasileiros do Cansei de Ser Sexy, a banda vai se afastar por um tempo e trabalhar em seu segundo álbum.

Equem sabe, Taylor – que tatuou “Lovefoxx” no quadril – não resolve tirar uns dias extras e oficializar a união com a vocalista do CSS?

Texto enviado por Ana Karina Sato, nossa espiã em Seattle

Anúncios