amazon.jpgLembro que umas das minhas maiores decepções no ano passado foi quando lançaram o serviço de venda online musical da Amazon. Sabia-se desde o começo de 2007 que ele venderia faixas sem DRM (assim você pode tocar a faixa em qualquer MP3 Player, e copiar a música quantas vezes quiser) e com preço mais baixo que o iTunes. Por isso, a expectativa estava grande até a estréia, em setembro passado: mais de 3 milhões de músicas, de todas as grandes gravadoras, e mais 33 mil selos independentes à disposição do povo aqui do hemisfério sul, que na avaliação do tio Steve Jobs, não merece a opção de comprar música online a preço justo. (Pode falar mal do UOL aqui? Porque acho que os preços praticados na Megastore são fora da realidade, anulando o site como uma opção viável para quem quer consumir na web.)

E a dita decepção veio quando descobri que a Amazon seguiu, de início, o mesmo modelo do iTunes, disponibilizando as faixas para compras apenas para os países com mercado relevante. Ou seja, Brasil fora.

Mas o pessoal do site percebeu que este mercado pode não ser tão irrelevante quanto se acha na Apple e anunciou que este ano irá disponibilizar o serviço para vendas fora do mercado americano, globalmente. Dei uma olhada e o velho aviso “Please note that Amazon MP3 is currently only available to US customers” continua lá. Ainda não tentei a compra propriamente dita, mas farei a tentativa mais tarde e posto o resultado aqui no .::musicness::., apesar de achar que ainda não rola.

Mas se o serviço vier a funcionar para compras aqui do Brasil, forçosamente presenciaremos uma mudança de mentalidade do povo que deixou de comprar música devido ao preço do CD ou pela falta de opções de compras online acessíveis. Ou pelo menos, deveríamos. Ou o povo vai precisar de desculpas novas.

Postado por Diogo Dreyer

Anúncios