u2.jpgPaul McGuinness, empresário do U2 de longa data, que aparece aí ao lado com o Bono, fez um discurso irado na última segunda-feira (28) no The World’s Music Market (MIDEM), realizado em Cannes, dizendo que os servidores de internet estão “destruindo a indústria musical” permitindo as trocas de arquivo P2P. Na avaliação do manager: culpe os malditos hippies!

McGuinness falou que o Vale do Silício está tomado por “valores hippies” que não incluem o respeito ao copyright e ao modelo de negócios já estabelecidos. Muitos dos empresários da área não se consideram “fazedores de kits de roubo”, ele disse no discurso, dando a entender que, de fato, o são.

“Existe um monte de gerentes de fundos de ações que são “Deadheads”, afirmou em referência ao ícone hippie The Grateful Dead. “E engessado bem fundo nas idéias desses empresários, os valores hippies são um desrespeito para o verdadeiro valor da música.”

Sustentando a teoria de que os provedores seriam os responsáveis pelos downloads ilegais, ele ressaltou ainda que a falta de previsão e de planejamento por parte das gravadoras permitiu que as pessoas roubassem música. “Há muito dinheiro na indústria musical, mas ele não chega mais aos artistas”, declarou.

Homenageado com o título de personalidade do ano durante o evento, o músico Peter Gabriel apoiou o discurso do empresário, concordando que os provedores têm feito muito dinheiro com a música hoje.

Está aí, um testemunho sensato sobre os problemas das transferências de música pela internet. Pelo que entendi, McGuinness acha que o Steve Jobs é milionário porque, sendo um maldito hippie do Vale do Silício, deve roubar o dinheiro do coitado do Bono. É, faz todo o sentido do mundo.

Leia mais sobre os brilhantes argumentos do manager.

Postado por Diogo Dreyer

Anúncios